Search

MARIA GAL The Voice of The Brazilian Black Woman

Updated: Apr 27


EXCLUSIVE INTERVIEW


Born in Salvador, Bahia, Maria Gal has been working for over 20 years. Maria Gal is an actress, presenter, speaker, content creator and producer. She has already performed in Brazil and abroad, with the award for best actress at the Film Festival in Madrid. Diversity and black representativeness are themes that are part of his DNA as an artist, black woman and citizen. With tickets on Rede Globo, Netflix, Canal Brazil, Rede Record, TV / SBT. He is a diversity columnist at VOGUE GENTE and produces in co-production format for cinema / TV and digital media content that has synergy with the racial and feminine theme, through his producer MARIA PRODUTORA. With you our Brazilian star: Maria Gal!



1 - Baiana by birth and carioca at heart, how do you define yourself, who is Maria Gal?


MG - I define myself as a Bahian woman with a São Paulo heart and a Rio soul. rsrsr A woman who loves to work and the hustle and bustle of recording but who also loves being close to nature and at home.


2 - On Tv you acted in several productions such as: Carousel, Joia Rara, Poliana's Adventures, Under Pressure, Gabriela, Tutelary Council, Santo Forte, Carandiru and Other Stories, Love in 4 Acts, Margot's Happiness, Between the Heaven and Earth and Stella Models. Of all these, who was the character that most marked you and why?


MG - Without a doubt the Gleyce of “As Aventuras de Poliana”. Not only for the time of

exposure, 3 uninterrupted years on open TV and now also in streaming, and exhibition in Mozambique, but also for the great representativeness. Gleyce was the only mother character of a black family on the air for 3 years in Brazil on open TV from 2016 to 2020. A strong character, at the same time sensitive in a plot that has been empowering itself throughout its heroine journey.


3 - In addition to acting you also produce content through your production company MARIA PRODUTORA, tell us about your work in this area.


MG - In addition to acting as an actress, I create content for social networks and companies, as an influencer on IG @mariagalreal and as a producer, I act as a presenter and write about diversity in media outlets such as Vogue and Folha de SP (eventually). It is hard work to reconcile the agenda with so many fronts, but at the same time very pleasant because I work only with what I believe. Talking about diversity and black representation is a life mission. So having almost daily meetings with companies, allies and partners on the topic and projects is to make sure that I am on the right track. Today we have some projects in progress. From feature films to programs in the format of interviews for platforms and TV. It is in fact very exhausting even recording at home, because of the pandemic.


4 - How was your experience participating in a culinary reality on TV?


MG - It was fantastic mainly because I left the comfort zone. rsrs Cooking has never been my forte even more in confectionery as was the case with “Bake Off Celebrities”! It was also wonderful because I met new people on the program, the recording atmosphere and my genius confectionery teacher @nubiamoraescakes



5 - What are your current projects and after the pandemic?


MG - I am currently recording a series of content for a technology company where I interview young people in the gaming field and content creators. I am also raising funds for the film, and 2 other talk shows. In addition, I have been advertising for social networks and working on expanding my instagram and my production company MARIA PRODUTORA, which focuses on producing films, series, content for social networks and literacy programs that dialogue with the racial theme.


6 - You write about racial and feminine themes, you believe that Brazil is breaking paradigms regarding inclusion and predefined beauty standard.


MG - Still at a slow pace. In fact, a portal was opened last year after the murder of George Floyd on racial issues. But what has really changed in this one year in society? Are we really changing our cultures and consciousness about the value of black life? Has the number of black youths murdered in Brazil decreased? What about violence against black women? What about the violence of the symbolic invisibility of black women and men in leadership positions in companies and in the media? I have been dialoguing weekly with big companies about it and I have noticed that a bubble of society is moving to change their cultures, at a still slow pace on the issue. While others do not want to touch the wound. It is up to us society to demand more and more from governments and companies for concrete actions so that we can actually live in an inclusive society FOR ALL!



7 - In the United States many black actors and actresses produce their own films in addition to acting, are you inspired by this model?


MG - Certainly! I have an entrepreneurial streak that also likes to lead, numbers, business. I believe I was influenced by my parents too. I saw my mother doing a lot of calculations for the month's accounts to close, my father was a great leader who started as a mechanic and became a judge. Perhaps also influenced by SP for being Capricorn, for having as a goal the purpose of changing paradigms in the national audiovisual.


8 - Leave a message for the readers of Fashion Magazine New York!


MG - Thank you for caring and follow a little of my work! Get there at IG @mariagalreal to exchange an idea! Take care! Stay at home! AXE!




CREDITS


ACTRESS : Maria Gal https://www.instagram.com/mariagalreal/

PHOTOS : Camila Mendes https://www.instagram.com/camilamendesmodaefotografia/

BEAUTY : Caty Pires https://www.instagram.com/catypiresmakeup/

STYLING : Márcia Dornelles https://www.instagram.com/marcia_dornelles/

TEXT : Márcia Dornelles Comunicação https://www.instagram.com/marciadornellescomunicacao/

LOOK 1 : Maisa Gouveia e Natália https://www.instagram.com/maisagouveiaestilista/

ACESSORIES : D’Amarri

LOOK 2 & ACESSORIES : Via Boho https://www.instagram.com/lojaviaboho/ LOCATION : Windsor California https://www.instagram.com/windsorhoteis/


VERSÃO EM PORTUGUÊS Baiana nascida em Salvador, Maria Gal atua há mais de 20 anos. Maria Gal é atriz, apresentadora, palestrante, criadora de conteúdo e produtora. Já se apresentou no Brasil e exterior, com prêmio de melhor atriz no Festival de Cinema em Madrid. Diversidade e representatividade negra são temas que fazem parte do seu DNA enquanto artista, mulher negra e cidadã. Com passagens na Rede Globo, Netflix, Canal Brasil, Rede Record, TV/SBT. É colunista de diversidade na VOGUE GENTE e produz em formato de co-produção para cinema/TV e mídias digitais conteúdos que tem sinergia com a temática racial e feminina, através de sua produtora MARIA PRODUTORA. Com vocês nossa estrela brasileira: Maria Gal !


1 - Baiana de nascimento e carioca de coração, como você se define, quem é Maria Gal?


Me defino como uma baiana com coração paulista e alma carioca. rsrsr Uma mulher que ama trabalhar e os agitos das gravações mas que também ama ficar próxima à natureza e em casa.



2 - Na Tv você atuou em várias produções tais como: Carrossel ,Joia Rara,As Aventuras de Poliana, Sob Pressão, Gabriela,Conselho Tutelar,Santo Forte, Carandiru e Outras Histórias, Amor em 4 Atos,A Felicidade de Margot, Entre o céu e a Terra e Stella Models. De todas estas qual a personagem que mais marcou e por que?


Sem dúvida a Gleyce de “As Aventuras de Poliana”. Não apenas pelo tempo de exposição, 3 anos ininterruptos na TV aberta e agora também no streaming, e exibição em Moçambique, mas também pela grande representatividade. A Gleyce foi a única personagem mãe de família negra no ar ininterruptamente por 3 anos no Brasil na TV aberta de 2016 a 2020. Uma personagem forte, ao mesmo tempo sensível numa trama que foi se empoderando ao longo de sua jornada de heroína.


3 - Além de atuar você também produz conteúdos através de sua produtora MARIA PRODUTORA, conte como é seu trabalho nesta área


Além de atuar como atriz, crio conteúdos para redes sociais e empresas, como influenciadora no IG @mariagalreal e como produtora, atuo como apresentadora e escrevo sobre diversidade em veículos de comunicação como a Vogue e Folha de SP (eventualmente). É um trabalho árduo pra conciliar a agenda com tantas frentes, mas ao mesmo tempo muito prazeroso porque trabalho apenas com que acredito. Falar sobre diversidade e representatividade negra é uma missão de vida. Então ter reuniões quase diárias com empresas, aliados e parceiros sobre o tema e projetos é ter certeza de que estou no caminho certo. Hoje temos alguns projetos em andamento. Desde longa metragem a programas no formato de entrevistas para plataformas e TV. É de fato muito exaustivo mesmo gravando em casa, por conta da pandemia.



4- Como foi sua experiência participando de um reality de culinária na TV?


Foi fantástico principalmente porque saí da zona de conforto. rsrs Cozinhar nunca foi meu forte ainda mais na confeitaria como foi o caso do “Bake Off Celebridades” ! Foi maravilhoso também porque conheci pessoas novas no programa, o clima de gravaçao e minha professora gênia de confeitaria @nubiamoraescakes


5- Quais são seus projetos atuais e para depois da pandemia ?


Atualmente estou gravando uma série de conteúdo para uma empresa de tecnologia onde entrevisto jovens da área de games e criadores de conteúdos. Também estou captando recursos para o filme, e 2 outros programas de entrevistas. Além disso tenho feito publicidade para as redes sociais e trabalhando na ampliação do meu instagram e da minha produtora MARIA PRODUTORA, que tem o foco de produzir filmes, séries, conteúdos para as redes sociais e programas de letramento que dialoguem com a temática racial.


6- Você escreve sobre temática racial e feminina, você acredita que o Brasil está quebrando paradigmas com relação a inclusão e padrão de beleza pré definido?


Ainda a passos lentos. De fato abriu-se um portal ano passado após o assassinato de George Floyd sobre a temática racial. Porém o que de fato mudou neste um ano na sociedade? Estamos de fato mudando nossas culturas e consciência sobre o valor da vida negra? A quantidade de jovens negros assassinados no Brasil diminuiu? E a violência contra as mulheres negras? E a violência da invisibilidade simbólica de negras e negros nos cargos de liderança das empresas e dos veículos de comunicação? Tenho dialogado semanalmente com grandes empresas a respeito e tenho percebido que uma bolha da sociedade está caminhando para modificar suas culturas, a passos ainda lentos sobre a questão. Enquanto outras não querem tocar o dedo na ferida. Cabe a nós sociedade cobrarmos cada vez mais dos governos e das empresas ações concretas para que possamos de fato viver numa sociedade inclusiva PARA TODOS!



7- Nos Estados Unidos muitos atores e atrizes negras produzem seus próprios filmes além de atuar, você está se inspirando neste modelo?


Com certeza! Tenho uma veia empreendedora que gosta também de liderar, números, business. Acredito que tenha sido influenciada pelos meus pais também. Vi minha mãe fazendo muitos cálculos para as contas do mês fechar, meu pai foi um grande líder que começou como mecânico e virou juiz. Talvez também influenciada por SP por ser capricorniana, por ter como meta propósito de mudar paradigmas no audiovisual nacional.


8- Deixe uma mensagem para os leitores da Fashion Magazine New York!


Obrigada pelo carinho e acompanharem um pouco do meu trabalho! Cheguem lá no IG @mariagalreal pra trocarmos uma ideia! Se cuidem! Fiquem em casa! AXÉ!


Ficha Técnica


Fotos Camila Mendes

Beleza Caty Pires

Styling Márcia Dornelles

Locação Windsor Copacabana Hotéis

Texto- Márcia Dornelles @marciadornellescomunicacao

Look 1 Maísa Gouveia e ACESSORIOS D’Amarri

Look 2 - saia e blusa e ACESSORIOS Via Boho